top of page

75,4% dos municípios do Paraná geraram empregos para mulheres no 1º semestre

301 cidades registraram saldo positivo no ano, o que representa 75,4%, segundo o Caged. Ao todo, o Paraná criou 31.327 postos de trabalho para mulheres no primeiro semestre de 2023.


Com um saldo positivo de 4.566 mulheres empregadas nos seis primeiros meses do ano, Curitiba lidera a lista de cidades paranaenses com maior número de vagas ocupadas por elas no primeiro semestre de 2023. De maneira gera, 301 cidades registraram saldo positivo no ano, o que representa 75,4%, enquanto cinco empataram o número de contratações e demissões. Os dados são do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).


Completam a lista dos dez primeiros os municípios de Londrina (2.701), Maringá (1.739), São José dos Pinhais (1.583), Toledo (1.582), Cascavel (1.331), Ponta Grossa (1.115), Pinhais (1.043), Francisco Beltrão (692) e Foz do Iguaçu (626). Também são destaques no saldo de empregabilidade de trabalhadoras as cidades de Colombo (617), Assis Chateaubriand (577), Guarapuava (552), São Mateus do Sul (467), Araucária (437), Rolândia (406), Campo Mourão (392), Fazenda Rio Grande (362), Cornélio Procópio (361) e Paranavaí (354).

A empregabilidade feminina está espalhada entre as grandes, médias e pequenas cidades. Kaloré registrou sete novas vagas; Diamante do Norte, 14; Pinhal de São Bento, 19; Wenceslau Braz, 32; Mandirituba, 37; Iporã, 50; Nova Londrina, 106; União da Vitória, 131; Irati, 167; Siqueira Campos, 176; e Medianeira, 219.


Em junho, a Capital registrou um saldo positivo de 469 novas vagas ocupadas por mulheres, número muito próximo ao obtido pela cidade de Londrina (449). Em seguida estão José dos Pinhais (322) e Colombo (232), ambas na Região Metropolitana de Curitiba, além de Maringá (176), Assis Chateaubriand e Ponta Grossa (166), Araucária (121), Candói (98) e Cornélio Procópio (89). Medianeira e Nova Londrina (68), Cascavel (58), Alto Paraná (57) e Francisco Beltrão (52) completam o top 15. Foram 236 cidades com saldo positivo no mês, o que representa 59,1% do Paraná.

Ao todo, o Paraná criou 31.327 postos de trabalho para mulheres no primeiro semestre de 2023, conforme dados do Caged, mantendo a liderança em empregabilidade dentro deste recorte de gênero entre os estados da Região Sul e ocupando o terceiro lugar no ranking nacional. Santa Catarina encerrou o mesmo período com 27.867 e Rio Grande do Sul, com 26.905 novas vagas ocupadas por elas. São Paulo, primeiro colocado, teve saldo de 17.103. Os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro tiveram, respectivamente, 9.836 e 5.316 encaixes.


No mês de junho, o Paraná registrou um saldo positivo de 3.049 vagas de emprego para elas, ocupando o primeiro lugar entre os estados do Sul. Rio Grande do Sul, segundo colocado, terminou o mês com 1.167 novos encaixes de mulheres e postos de trabalho, enquanto Santa Catarina encaixou formalmente no mesmo período 902 trabalhadoras.


CAGED GERAL – O Paraná foi o estado no Sul e o quarto no País que mais gerou empregos com carteira assinada no primeiro semestre de 2023. Foram 70.927 novas vagas abertas no Estado nos primeiros seis meses do ano. O Estado teve saldo positivo ao longo de todos os meses do ano: foram 6.922 vagas abertas em janeiro, 24.367 em fevereiro, 13.576 em março, 10.357 em abril, 7.806 em maio e 7.899 em junho.

Quase seis em cada dez novos empregos no Estado no primeiro semestre foram gerados pelo setor de serviços, que teve um saldo de 40.791 novas vagas no período. Mas todos os setores tiveram um bom desempenho nos primeiros seis meses do ano. A indústria vem na sequência, com 12.280 postos, seguida pela construção (10.781), comércio (3.958) e agropecuária (3.117).

Confira os relatórios elaborados pela Secretaria de Trabalho, Qualificação e Renda sobre junho (mulheres) e o semestre (mulheres) .


Foto: Lucas Fermin


0 comentário
bottom of page