top of page

Autuação no Interior de Prudentópolis: Produção Ilegal de Carvão Resulta em Apreensão Significativa


Prudentópolis, 12 de Setembro - Em uma operação de patrulhamento realizada na localidade de Cadeado Grande em Prudentópolis, as autoridades flagraram uma atividade ilegal que está diretamente ligada ao desmatamento e à degradação ambiental. Um indivíduo foi autuado por operar um forno de produção de carvão vegetal sem a devida licença das autoridades competentes.


Durante a ação de fiscalização, uma equipe especializada constatou a presença de um forno em pleno funcionamento, utilizado para a produção de carvão vegetal, em desacordo com as regulamentações ambientais e sem autorização das autoridades responsáveis. O responsável pelo estabelecimento foi imediatamente notificado e teve um termo circunstanciado lavrado contra ele.


O impacto dessa atividade ilegal não se limitou à autuação do responsável. As autoridades também apreenderam uma quantidade significativa de recursos naturais. Um total de 27 metros cúbicos de lenha nativa, uma matéria-prima vital para a produção de carvão, foi apreendido como parte da operação. Além disso, foram confiscadas 130 sacas de carvão vegetal já produzido, que estavam prontas para a comercialização.


A apreensão desse volume considerável de lenha nativa e carvão vegetal é um passo importante na preservação do meio ambiente e na combinação dos esforços para conter práticas ilegais que contribuem para o desmatamento e a degradação ambiental. As autoridades competentes reforçam a importância da observância das leis ambientais para proteger a biodiversidade e os recursos naturais preciosos do Brasil.


A operação em Prudentópolis serve como um lembrete da necessidade contínua de monitoramento e fiscalização rigorosa para garantir a conformidade com as regulamentações ambientais e a preservação dos ecossistemas locais. A ação também ressalta o compromisso das autoridades em coibir atividades ilegais que prejudicam o meio ambiente e ameaçam a sustentabilidade das áreas rurais.


0 comentário

Comments


bottom of page