top of page

Dia Nacional de Mobilização: Homens unem-se pelo Fim da Violência contra as Mulheres


A cada 6 de dezembro, o Brasil volta os olhares para o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, uma data significativa que busca conscientizar e engajar os homens na luta contra a discriminação e a violência de gênero.


No Brasil, o reconhecimento oficial deste dia ocorreu por meio do Decreto de Lei nº 11.489, datado de 20 de junho de 2007. Esta iniciativa tem como propósito sensibilizar os homens sobre o papel fundamental que desempenham na promoção de uma sociedade mais justa e igualitária.


A escolha específica do dia 6 de dezembro remete a um episódio trágico que ecoou pelo mundo. Em 1989, Marc Lepine, um jovem canadense, perpetrava um ato de violência sem precedentes ao invadir uma sala de aula na Escola Politécnica de Montreal. Ordenando que os homens se retirassem, Lepine brutalmente assassinou todas as mulheres presentes. O ato culminou com o suicídio do agressor, mas não sem deixar uma carta que revelava sua intolerância à presença feminina em cursos tradicionalmente masculinos, como a Engenharia.


Esse ato brutal e motivado por uma visão distorcida de gênero levou à criação da Campanha do Laço Branco (White Ribbon Campaign) por um grupo de homens canadenses, que se uniram para promover a igualdade de gênero e uma nova concepção de masculinidade. Esse movimento teve reflexos positivos em diversos países, incluindo o Brasil, onde a Campanha Laço Branco é coordenada pela Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG).


Assim, o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres é mais do que uma data no calendário; é um chamado à reflexão, à ação e à solidariedade. Através da conscientização e do comprometimento dos homens, busca-se construir uma sociedade onde a igualdade de gênero seja não apenas uma aspiração, mas uma realidade concreta. Neste dia, celebramos não apenas a superação de um trágico evento do passado, mas também a esperança de um futuro mais justo e igualitário para todos.


0 comentário

Comments


bottom of page